Blog is a losing game.


O que assistir no Dia Mundial do Rock

Para celebrar o dia Mundial do Ropck. nada melhor do que assistir os melhores clipes, shows e programas dedicados oa estilo que a gente tanto ama né? E os canais a cabo estão com várias atrações legais.

7-ages-of-rock1

Na VH1 o destaque fica por conta do Seven Ages Of Rock, uma série especial feita pela BBc que conta tudo sobre o Rock. A maratona com todos os 7 episódios começa às 15h. Além disso, o canal exibe vários programas durante todo o mês de julho. Clica aqui pra conferir.

Já no Multishow, o foco é nos shows. Bandas nacionais e internacionais ganham espaço em performances ao vivo.  Os mais legais: Franz Ferdinand (13h ), Alanis Morissette (14h), o Multishow Registro do Los Hermanos (18h), o show histórico da Legião Urbana com o Paralamas do sucesso (22h) e o show carioca da turnê brasileira do Oasis (23h). A programação completa está aqui.

A MTV também aposta em shows na programação,além de uma maratona de clipes de 7 horas, que começa às 3 da manhã. O horário não ajuda pra quem tem que trabalhar, mas antes de sair pra labuta não custa ligar a TV.

Anúncios

MTV Movie Awards 2009

mtv movie awards

Hoje é dia de Movie Awards, aquela premiação feita pelo público e nem tem grande importância assim, a não ser ditar os padrões do cinema pipoca, já que é uma votação aberta ao público. Uma das  únicas coisas boas são os red carpets e por ser um canal de música, eles sempre colocam umas atrações musicais pra entreter a galera. Esse ano a festa conta com  apresentações do Kings Of Leon e do Eminem, que volta ao  mundo da música depois de um tempinho parado.

Mas o que vai chamar mais atenção é a premiere do trailer de Lua Nova, segundo filme inspirado nos livros da Stephenie Meyer.  Aliás, Crepúsculo, o primeiro filme que  começa a história de Bella e Edward tem o recorde de indicações esse ano: são 7 chances de ganhar as pipocas douradas, entre elas a de melhor filme, melhor atriz pra Kristen Stweart e revelação, para os galãs Robert Pattinson e Taylor Lautner.


15 anos sem Kurt (atrasado)

Bom, não tenho  o que falar sobre essa data triste para a música mundial.tudo já foi dito por aí.Um dos seres  que justificam a máxima “os bons morrem cedo”

Esse video é a  minha melhor lembrança que eu tenho do Nirvana. Pra mim é o melhor acustico já feito, com clássicos, raridades e covers geniais.


EMA

Nao consegui assistir ao EMA que aconteceu ontem e provavelmente não verei a reprise de fim de semana, mas fui atrás de algumas apresentações que aconteceram. Destaco duas delas: Killers, cantando a super ótima “Human” e a dupla  The Ting Tings, uma das melhores coisas que apareceu esse ano, cantando a empolgante “That´s not my name”.


Festival Internacional de Televisão – Como foi

Sobre o debate “Transgressão e renovação: as novas formas de humor na TV brasileira“,
que aconteceu ontem no Oi Futuro: muita gente pra pouco auditório. Fiquei do lado de fora acompanhando pelo telão, uma pena. Mas foi um dia proveitoso.

Marcelo Tas (apresentador do CQC / Band) – O que mais acrescentou, sem sombra de dúvida. Ele sabe do que fala, tanto em relação a Televisão em geral quanto a ao tipo de programa em que o CQC está inserido hoje. Um dos poucos vídeos que eu achei no youtube da palestra:

Diego Barredo (Diretor do CQC / Band) – Muito mais contido do que o Tas, não era de falar muito, e também as vezes não se entendia muito do que ele disse, culpa do forte sotaque que ele tem(ele é da Argentina). Conhece bastante sobre o Custe o que Custar e sua trajetória em vários países
Cris Lobo (Diretora de prod. e programação da MTV Brasil) – A mais direta dos participantes. Reforçou a improtancia da internet como ferramenta fundamental na descoberta de novos talentos que podem ser proveitados pra TV.
Sabrina Sato (apresentadora e repórter do Pânico na TV) – Ainda não descobri o que ela estava fazendo ali. Com seu esteriótipo de mulher burra e gostosa, arrancou boas risadas do público, pelo menos. Foi só isso o que ela fez, mas ninguém esperava muito dela né?
Marcelo Adnet (apresentador MTV Brasil). – Sabe aquele cara que apresenta um programa de 15 minutos no seu quarto? Então, ele é assim mesmo. Brinca, mas também fala sério sobre a sua contribuição para o humor na televisão. Ao ser perguntado sobre o que pretende fazer quando seus “15 minutos acabarem”, respondeu tranqüilamente que não pensa nisso; um dia de cada vez, ele disse. Ele comentou também da transição natural que foi do teatro para  a televisão, e realçou o teatro como um lugar mais livre, em que se pode falar tudo sem medo de repercutir mal ou ganhar um processo, como já aconteceu com o CQC e com o Pãnico.

Opinião sobre a importância do debate:

Acho que o sucesso do CQC, do 15 minutos e do Pãnico na TV só prova que o humor, assim com todos os segmentos feitos na televisão hoje,  devem estar abertos a mudança. Com a concorrência feroz da Internet, quem não tiver isso na cabeça, dança e rápido.


Festival Internacional de Televisão

Desde o dia 3 de dezembro está acontecendo aqui no Rio o Festival Internacional de Televisão, que reúne debates, e mostra de vídeos sobre a televisão atual. A programação é toda gratuita e esse ano resolvi conferir o evento. Hoje vai ter o  debate: “Linguagem e Experimentação – Transgressão e renovação: as novas formas de humor na TV brasileira”. Conseguiram reunir bastante gente envolvida nessa renovação dos programas de humor. Quem vai compor a mesa:

Marcelo Tas (apresentador do CQC / Band),
Diego Barredo (Diretor do CQC / Band),
Cris Lobo (Diretora de prod. e programação da MTV Brasil),
Sabrina Sato (apresentadora e repórter do Pânico na TV),
Marcelo Adnet (apresentador MTV Brasil).

Vou tentar escrever alguma coisa sobre o evento.

Info:

OI FUTURO
Rua Dois de Dezembro, 63 – Flamengo
(como chegar)

Programação


VMB

Ontem cheguei em casa depois de um dia inteiro na rua e vejo que está passando o VMB. Foi-se o tempo que eu ficava empolgada com premiações da MTV, ultimamente elas tem sido bem fraquinhas. Mas o VMB 2008 foi curioso e diferente do que tem sido nas últimas edições. E isso não é só elogio não.

Eu não vi nada do que aconteceu antes da apresentação do Bloc Party. Aliás, o que foi o Dinho Ouro Preto apresentando os caras em inglês? Isso aqui é Brasil, apesar da influência dos caras do hemisfério norte – vide o nome deste blog –  ainda falamos português, mesmo boa parte dos telespectadores entendendo a lingua dos States.

Foi aí que decidi parar para assitir. Apesar de não ser aquela fã, até gosto de algumas coisas do Bloc Party. Mas, um minuto depois, eu já estava de queixo caído. Era só o meu ouvido nada apurado ou eles estavam fazendo o tão criticado Playback?

Não, meus ouvidos não me pregaram uma peça. Era playback. Tõ querendo saber o motivo até agora, já que todas as outras apresentações foram ao vivo. Porque eles, que supostamente eram a grande atração, iriam pagar o mico de cantar como se estivessem no Faustão ou no Domingo Legal? Até a banda nova do Júnior, que eu achei bem mais ou menos, tocou ao vivo. É isso que e o público quer ver nesses eventos e a platéia, sabiamente, não perdoou os gringos e vaiou mesmo. Deu pra ouvir até um “Play Live” pra ver se a banda entendia o que nós queriamos ver. UPDATE: Foi um pedido da banda não cantar ao vivo.

Agora o melhor da festa: Marcelo Adnet. Ele é uma grata revelação humorística desse último ano, junto com o CQC. Ele mandou muito bem no improviso (provavelmente com alguma coisa de roteiro também) e mudou a rotina do espetáculo. Morri de rir com as rimas inteligentes e só provou que ele tem potencial pra ser o apresentador ano que vem. O Mion até que tava engraçadinho em algumas horas, mas já deu, né?

Outra coisa positiva foi terem modificado as regras pra Banda dos Sonhos, principalmente pelo lance de não poder ganhar dois anos seguidos. Já tava chato todo ano a Pitty e o Japinha ganhando como cantora e baterista. Quando começaram a anunciar os indicados para o posto de guitarrista e mencionaram o nome do Chimbinha, eu tinha certeza que ele ia ganhar. Votaram nele mais por zoação, apesar de já ter ouvido por aí que ele é bom guitarrita. Não gosto de Calypso, acho a voz da Joelma insuportável, mas valeu pela diversidade.

A apresentação do Bonde do Rolê foi bizarra ao máximo, aqueles homens sarados entrando foi o mais engraçado. Mas as novas vocalistas… não dá. Tudo bem que eles são sem noção, mas ela são demais. Perdeu a graça totalmente. E não vou nem comentar aquela feira livre, com um monte de mulher fruta. Direto das capas do Meia Hora pro VMB? Eca! Tem certos modismos que não devem comprar, MTV! fica a dica.

Comentário fútil: amei a roupa da Mallu Magalhães, o vestido era lindo, e o que que tem ir com um sapato de cada cor? Achei super legal.