Blog is a losing game.


Little Joy @ Circo Voador – 14/08/2009

Uma virose sem explicação e assim se perde um show mais do que esperado. Foi assim que eu perdi o primeiro show do Little Joy da extensa turnê que eles fizeram no começo do ano. Quando pensei que levaria pelo menos mais um ano para ter a portunidade de vê-los ao vivo de fato, eis que confirmam novos shows no Brasil. Dessa vez, tive o prazer de ir, e saudável.

Os shows de abertura – Adam Green e The Dead Trees – se limitaram a essa categoria. Adam Green foi o primeiro, que tentou conquistar fazendo danças sem noção. Uma pessoa muito simpática queeu pude conhecer antes do show, mas a maioria dos presentes na Fundição sequer o conheciam. O mesmo acnteceu com o Dead Trees, formado por dois músicos que fazem parte da banda de apoio do Little Joy. São bons músicos, fato que pode ser constatado no Myspace deles.

CIMG1887

O principal show da noite conseguiu atingiu as minhas expectivas. O show foi bem curtinho, mas eles conseguiram manter o interesse, colocando músicas novas e outros covers no Set.

Next Time Around

How to hang a warhol

Os dois covers da noite foram muito bem executados: Procissão, uma música de Gilberto Gil e Midnight Voyage, da banda The Mammas and The Papas que ficou ótima na voz da Binki.

No encerramento, todos subiram ao palco para cantar Brand New Start. É visivel a felicidade que eles tem de tcar aqui no Brasil e foi visível que o público também adorou.

Set List

IMG019


Clipe novo do Coldplay + Possíveis shows no Brasil

O Coldplay lançou ontem o clipe de Strawberry Swing, do álbum Viva La Vida. Gostei do vídeo,  uma animação simplista, mas que funciona e prende a gente.

Aqui no Babelgum tem uma versão em melhor qualidade.

Ainda sobre o Coldplay, os rumores sobre uma turnê no Brasil não param de aumentar.  Parece que o segundo semestre promete em termos de show: Suspeitas de shows do The Killers, Foo Fighters, além dos shows já confirmados de Little Joy (Agosto), Beirut (Setembro), entre outros.

No site da Folha tem todas as confirmações e suspeitas, para você montar  seu calendário musical e não ser pedo desprevenido.


Oasis @ Rio de Janeiro (07.05.2009)

A turnê do Oasis em terras brasileiras começou com o pé direito.  O show no Rio de Janeiro ontem conseguiu agradar tanto os fãs antigos quanto os mais recentes. É dificil uma banda com tantos cds lançados reunir uma coleção de hits que sintetize sua carreira, apesar de que sempre tem aquela música que a gente quer ouvir mas a banda não toca (e no caso deles são várias!) mas deu pra sair bem feliz do Citibank Hall.

O set list não teve nenhuma variação. Foi idêntico ao dos outros shows da América Latina. Fuckin´in the Bushes deixou a galera ligada e logo depois já vieram os Hits  Rock and Roll Star e Lyla. Ninguém ficou parado e o coro foi incrível!

Os irmãos Gallaghers e companhia deram bastante importância as músicas do album mais recente, o Dig out Your Soul lançado ano passado. 6 das 11 músicas desse disco mais recente foram tocadas ontem.

Supersonic

O show foi encerrado com o cover mais que manjado de I am the Walrus, que é minha música favorita dos Beatles. E apesar dos pedidos, não teve Live Forever. Acho que não rola em nenhum por aqui. Mais um grande show que eu tive a oportunidade de ver.

Não posso esquecer de comentar o show de abertura do Cachorro Grande. Tocaram por volta de uma hora, então se dedicaram aos hits e tiveram a participação do Samuel Rosa, vocalista do Skank, para dois covers do Beatles. Mandaram bem, se mostraram super animados por estar abrindo o show de uma influencia nítida deles e acabaram conseguindo animar a plateia antes do show principal da noite.

você não sabe o que perdeu


Oasis no Multishow + Kooks em São Paulo

oasis290

Para quem não vai poder ir ao show dos carinhas do Oasis, fica o consolo de ver pelo menos um show deles na TV:  O Multishow vai transmitir o show do Rio de Janeiro, que acontece dia 7 de maio. Provavelmente vai ser nos moldes do Just a Fest com algum atraso, e não ao vivo.

A iniciativa é ótima, mas poderia ser o show na íntegra né? no Just a Fest eles interromperam o show para passar 20 minutos ao vivo do BBB, quebrou todo o clima de que tava assistindo! O show completinho ia ser mil vezes mais legal, um bootleg pra quem fã guardar de lembrança. E podia ter o show do Cachorro Grande também, não seria má ideia.

kooks

E mais um show gringo confirmado por aqui: os ingleses doThe  Kooks tocam em São Paulo dia 19 de junho. Ingresso a venda a partir do dia 14 de abril. Corra!

Mais um show que, ao que tudo indica, fica só em uma cidade. Acho que eles mereciam um showzinho aqui no Rio ou pelo menos em alguma cidade do Sul para descetntralizar um pouco as atividades culturais de São Paulo.  Os paulistas vão me odiar, mas fazer o que? 🙂


Cachorrada no Oásis

imagem-086

Foto:  Show no Circo Voador em abril de 2008, por mim mesma =)

A abertura das apresentções do Oasis em solo brasileiro ficará por conta do Cachorro Grande, banda que declara ser fã dos rapazes ingleses.

Gostei muito da escolha deles para ser a banda de abertura, além de ser uma satisfação para a banda, acho que no Brasil é o grupo que mais se aproxima do show do Oasis. Tem coisa pior do que duas bandas completamentes diferentes tocando na mesma noite? Um exemplo bem recente: Fresno como banda de abertura do Keane. Simplesmente não combinou, são bandas com publicos e sons diferentes.

Espero que seja um bom show pra quem for assistir.


Just a Fest (RJ): Radiohead

A principal banda do festival entrou no palco por volta das 22:40 da noite. Ao som de 15 Step, musica que eu particularmente gosto muito,  o Radiohead começou a apresentação na Apoteose. Depois disso, uma viagem a discografia da banda. Selecionei as minhas favoritas que eles tocaram na apoteose:

Intro/15 step

Karma Police

Bodysnatchers

Paranoid Android

Creep

Radiohead Setlist Apoteose, Rio de Janeiro, Brazil 2009

Não sou fã xiita, mas que valeu o ingresso, ah, valeu!

Just A Fest (RJ) – Kraftwerk

O show do Kraftwerk foi diferente, para dizer o mínimo. Não sou uma pessoa que acompanha bandas mais puxadas pro eletrônico e nem tive muito tempo pra conhecer o quarteto. Mas pelo que eu vi no show, vários elementos das músicas deles podem ser vistas em bandas de rock atuais.  Os caras continuam influenciando os mais jovens, e o show valeu por isso.

The Robots


Just a Fest (RJ) – Los Hermanos

lh_just-a-fest

Foto: Alexandre Durão/AgNews

Existem certas bandas que despertam em quem assiste seus shows uma euforia incomparável. O Los Hermanos é uma banda com essa característica. Seus shows são animados da primeira à última música, com um coro ensurdecedor em todas as canções.
Mas ontem, enquanto tocavam no Just a Fest, vimos uma apresentação um pouco diferente. Talvez isso tenha acontecido pelo fato de ter um público misto, em que nem todos apreciam com tanto ardor o som deles.

As expectativas criadas para esses dois shows foram altas demais. Quem, como eu e meus amigos, que estavam no show da Fundição Progresso, que deu origem ao DVD mais recente deles, notou claramente a diferença no clima. Mas nada que alterasse a felicidade daqueles que esperaram mais de 21 meses por um show dos barbudos.

Foi abaixo das expectativas, mas valeu a pena. Sempre vale.

Set List

Todo Carnaval tem seu fim
O vencedor
Retrato para Iaiá
Último romance
Morena
Além do que se vê
O vento
Cher Antoine
A outra
Primeiro andar
Casa pré-fabricada
Deixa o verão
Cara estranho
Assim será
Condicional
Sentimental
Cadê teu suin?
A flor


O Just a Fest é hoje!

Pra quem tá no Rio pelo menos…

Radiohead – There There from victoria w on Vimeo.

Casa Pré-Fabricada from Pedro H. Franco on Vimeo.

Kraftwerk – Aerodynamic (Live) from Input Selector on Vimeo.


Oasis confirmado!

oasis3g1

Mais uma banda de peso confirmada para a leva de shows internacionais de 2009: o Oasis faz 4 shows em nossas terras em maio. As datas já estão no My Space ofical da banda.

RIO DE JANEIRO – Citibank Hall – 7th May
SÃO PAULO – Arena Anhembi – 9th May
CURITIBA – Pedreira Paulo Leminski – 10th May
PORTO ALEGRE – Gigantinho – 12th May

As vendas começam no dia 20 para clientes Citi e dia 27 de março para o público. Acho que as chances dos ingressos aqui do Rio esgotarem são grandes hein? O Citibank Hall cabe uma média de 8 mil pessoas e acho que o Oasis tem público de sobra para lotar.


Backstreet Boys @ Citibank Hall – 07/03/2009

018935267-fmm00

Foto: G1

São 1:08 da manhã e acabo de chegar do show de uma banda que fez parte da minha vida na minha adolescência.

Os Backstreet Boys voltaram para dois shows no Brasil com uma turnê bem mais modesta em relação aquela que lotou o Maracanã em 2001 e eu não tive a oportunidade de ir. Com menos coreografias e mais idade,  se mostraram gratos e realizados ao ver que seu público de oito anos atrás continua mantendo o carinho pela banda.

Como em quase toda turnê a abertura ficou por conta de Larger than life. O suficiente pra enlouquecer todas os fãs que lotaram o Citibank Hall. Depois disso, foi um desfile de hits e músicas dos trabalhos mais recentes dos rapazes.

The One

Entre uma música e outra, os rapazes mostram o que andam fazendo quando não estão em grupo. Cada um tem seu momento para mostrar algo do seu trabalho  solo. Destaque para Brian e AJ, o que se mostraram mais desenvoltos nas suas músicas.

Welcome Home You – Brian Solo

Para encerrar o show, tinha que ser com Everybody e Shape Of My Heart, dois dos maiores suscessos da carreira. Everybody enlouqueceu e “Shape…” levou muitos às lágrimas. Um show que não deveu nada aos fãs, sejam eles de qualquer época.

Shape of My Heart

Set List:

Larger than Life/Stronger
Everyone
Any Other Way
You Can Let Go
Unmistakable
I Want It That Way
She’s Like The Sun – Howie D
Show Me The Meaning of Being Lonely
More Than That
Trouble Is
Incomplete
Drive By Love – AJ
Panic
I Got You – Nick
Quit Playing Games With My Heart
As Long As Love Me
All I Have To Give
I’ll Never Break Your Heart
Inconsolable
Welcome Home You – Brian
The One
Treat Me Right
The Call
EveryBody
Shape of My Heart


A boa de hoje?

bsb_brasil

Sem vergonha alguma, assumo que vou vê-los hoje. Hora de soltar a franga de 15 anos de idade que existe dentro de mim. Tenho a impressão que vou voltar surda, porque fã de boy band é histérico.

Resenha e fotos em um futuro próximo, e espero que dessa vez não dê zica.


Confirmado

41_2456-los-hermanos

 

Depois de muito burburinho, a organização do Just a Fest  confirmou que o Los Hermanos vai compor o line-up do festival. Não esperava uma volta rápida deles, até pelo tom de despedida do show da Fundição Progresso. Mas eu, como fã, não vou reclamar né? Shows que nem os que eles fazem são sempre bem-vindos.

Ingresso pro Little Joy comprado também. Vou ali declarar falência e já volto.


Então…

Eu disse nesse post aqui que provavelmente não iria ver Backstreet Boys em março, mas as coisas mudaram….

img005

I´m fifteen all over again.


O que fazer em 2009 no quesito shows

Sempre tento prever como vai ser o ano que vai entrar, mas  não acerto muito. Porém, acho que 2009 vai ser recheado no quesito música, porque o  ano nem chegou e alguns shows já começam a se confirmar, ou muito provavelmente vão passar por aqui.

Na minha lista já estão:

alanis_morissette

Alanis Morissette – 04/02 – Confirmadésimo, tá lá no site dela e tudo. E são 11 shows, nunca vi artista gringo fazer tanta apresentação aqui!

littlejoy05_musicasocial

Little Joy – 06/02 – Amarante+Moretti+Circo voador= Show imperdível.

radiohead

Radiohead – 20/03 – Não sou aquela fã xiita como milhares espalhados por aí, mas gosto dos caras e acho que eles são o tipo de banda vale a pena assistir ao vivo. O que não está contribuindo muito é o precinho salgado do ingresso: Ainda bem que vai ser um festivalzinho, que até agora só tem Thom Yorke & cia. e os alemães do Kraftwerk, que eu nunca ouvi.

coldplay

Coldplay – 28/03 – Só surtarei mesmo quando tiver lá, no site oficial. Mas parece que está bem certo uma turnê por aqui. E dessa vez, com show em mais de um lugar, e não três shows seguidos na mesma cidade e em um lugar minúsculo. A passagem deles em 2007 foi ruim por isso, e em locais muitos pequenos.

Show que não vai rolar:

Backstreet Boyseu postei toda animada que ia ter oportunidade de ver a minha boy band preferida  já que não fui no mega show do Maracanã. Porém, quando eu soube que a meia-entrada estava 90 reais, eu tive que desapegar.  Saber priorizar é um mal necessário.

Espero que em 2009 muitas outras bandas venham nos visitar e que eu tenha verba suficiente para ir em todas.


Little Joy confirmado?

little-joy

O site da MTV está dando como confirmado as datas do Little Joy no Brasil.

São elas:

7/01 – Porto Alegre – Bar Opinião

28/01 – São Paulo – Clash Club

30/01 – Belo Horizonte – Festival Freegels

06/02 – Rio de Janeiro – Circo Voador


Madonna no Maraca

madonna

Sério, a Madonna me dá medo às vezes com esses músculos todos.

Mas ela ainda é foda. fiquei com invejinha quando vi Candy Shop no Fantástico 😀

Mais fotos do show de ontem aqui


Radiohead no Brasil

radiohead

Confirmadérrimo: Radiohead no Brasil, todos os indies depressivos desse país devem estar pulando em suas cadeiras. Mas 100 reais a meia entrada? Vai ser um golpe duro pro bolso. Pelo que foi divulgado pelo Thiago Ney na Ilustrada hoje, vai ser um festival chamado Just a Fest, que vão ter mais 3 bandas além de Thom Yorke e cia, sendo que duas serão nacionais.

Gosto de Radiohead, bastante até, mas 100 reais? Isso porque estou considerando a meia-entrada. Aí sempre bate o dilema: Fazer um esforço e pagar, porque é uma banda que não vai voltar tão cedo (olha quanto tempo de carreira os caras tem e essa é a primeira vez que eles irão pisar em solo brasileiro) ou ficar em casa se lamentando e esperar vídeos no youtube?


Little Joy no Brasil

O rumor de que Amarante, Shapiro e Moretti desembarcam no Brasil em janeiro começou no blog de  Lúcio Ribeiro, mas agora o próprio circo voador já adicionou a banda na newsletter da casa:

littlejoy

2009 começando com tudo.


Planeta Terra – como foi

Eu queria muito ter ido ao Planeta Terra esse ano, mas como não pude, minha amiga Íris –  a pessoa que mais entende de festival –  foi e conta pra esse blog falido que ela achou.

Ah, ela odeia Kaiser Chiefs, mas ela é muito legal apesar disso, eu juro!

Planeta Terra 2008, por Íris.

Depois de uma semana enrolando, cá estou nesse blog de minha querida amiga do estado vizinho, para contar minha experiência no último (e segundo) festival planeta terra. Bem, eu gosto muito de festivais, principalmente porque vc consegue ver várias bandas legais com um ingresso só, e o planeta terra é com certeza o melhor que eu já fui. Tim festival, bem, é uma piada né, Skol Beats é bem legal, mas falta alguma coisa, só pra citar esses que tem todo ano aqui em São Paulo. Começar pelo lugar, que é no meio do nada, verdade; mas com vários galpões, grama, puff, pessoas sentadas, bandas gringas, e tudo mais que a gente inveja nos festivais europeus. A organização é ótima, a comida e a bebida é acessível, as bandas não começam nem com um segundo de atraso, a segurança também é ótima, e o banheiro é limpo o festival todo. Um festival dos sonhos. A minha ida ao Planeta Terra deste ano deve-se 100% a vinda do Jesus & Mary Chain, o resto ficou meio de brinde.

Bem, vamos aos fatos. Chegamos no lugar por volta das 16:30hrs, e depois de uma pequena confusão na entrada por causa de ingresso e carterinha de estudante, entramos. Fui para palco Indie ver Brothers of Brazil, a banda do Supla e seu irmão, achei bem chatinho o show, eles dizendo que tocaram em Paris e no Capão Redondo(?), e aquelas músicas-supla de sempre. Apesar que teve até uma bossa nova no meio, e com direito a papai na platéia. Logo desisti de vê-los e fui até o Main pra esperar a primeira banda, o Vanguart. Eu gosto bastante do som deles, já fui em alguns shows e foi o esperado; Hélio entrou no placo com seu óculos escuros e tocou o setlist esperado por quem chegou cedo para vê-los. Surpreendentemente, pelo menos para mim, tinha bastante fãs, cantaram boa parte das músicas e foi um show bom para abrir o Main. Logo depois tinha Mallu Magalhães, que eu até gosto de algumas músicas, mas iria ficar lá de qualquer jeito para esperar o Jesus & Mary Chain. E show dela, foi bem, digamos, chato. Ela não funciona ao vivo MESMO. Não empolga. Até fui comprar uma cerveja e comer algo com risco de dormir no meio. Voltei estava na última música, cover do Johnny Cash – Folsom Prison Blues, e creio que só eu conhecia lá. Anyway, me enfiei na frente ao máximo, para esperar a minha banda da noite.

Quem tinha procurado o setlist do show na Argentina, quase uma semana antes, não surpreendeu em nada, foi exatamente o mesmo. Apesar de nao ter muitas músicas do Psychocandy e do Darklands, os ditos álbuns clássicos, que eu reclamei tanto quando vi o setlist, na hora, não senti falta de nada. Acho que quando você gosta muito de uma banda e, nesse caso, acha que nunca vai ter a chance de vê-los ao vivo, o que tocar na hora, só por estar lá, vale muito a pena. Skanedriver, Head On e Far Gone and Out, as três primeiras músicas, com o Jim e Willian Reid bem na minha frente, todos de preto, valeu cada centavo dos quarenta reais que paguei no ingresso. Teve duas músicas novas, que eu gostei de ambas, e encerraram com Just Like Honey, claro e Reverence. O Jim Reid não fala nada com a platéia mesmo. Só rolou um ‘this is the last song’. Mas com 30 anos de palco, quem precisa de ‘boa noite’, não é mesmo? Logo depois do show deles, rouca, cansada, e sem pernas, fui deitar um pouco em umas esteiras que tinha na parte de fora do palco Indie. Até queria ter assistido o Foals, que foi o que tava tocando quando acabou Jesus, mas estava sem condições. O que acabou sendo uma boa decisão, ninguém que viu eles disse que o show foi bom. O vocalista tava pra lá de Blangadesh, até gritou um ‘maconha’. Anyway, logo depois tinha Spoon, que eu confesso que só fui escutar quando descobri que eles vinham para o festival. O show é bem empolgante, todo mundo que estava lá cantou e dançou bastante. O vocal é bem animado, sem ser chato. Creio que tenha sido bem melhor do que quem se matou pra ver Offspring no Main.

Quando acabou Spoon, fui procurar uns amigos e me preparar pra minha segunda banda da noite, que ia fechar a noite no palco Indie, o The Breeders. O que acontece bastante no Terra, você consegue encontrar todo mundo o tempo inteiro, é praticamente um milagre, hahahahaha. O The Breeders eu conheci meio por acaso, nao gosto de Pixies, com certeza se me dissessem que era a banda da Kim Deal, eu nunca teria escutado pela primeira vez. Mas preconceitos à parte, o som é bem legal e BEM diferente do Pixies. O melhor do show do The Breeders foi a Kim Deal passando o som. Roadie pra que, né? Ela entrava no placo, testava o microfone, afinava a guitarra, todo mundo gritava, e ela saia. Daí entrava de novo, mechia nas palhetas e no setlist no chão, todo mundo gritava de novo, e ela saia. Genial, hahahahaha. Enfim, logo começou o show delas. Sem dúvida, a banda mais ‘simpática’ que eu vi naquele sábado. Elas falam entre elas no microfone, falam com a platéia, riem, dançam; estavam se divertindo, assim como nós. Só acho que o setlist poderia ter sido melhor, as músicas mais legais e esperadas, foram logo no começo, incluise Cannoball, e perdeu um pouco o sentido o decorrer do show.

Assim que acabou o show, encontrei uma amiga que pegou a baqueta do baterista no Bloc Party no Palco Main enquanto eu cantava Divine Hammer no Palco Indie. Ah, e o vocal do Bloc Party ‘se desculpou’ pelo VMB. Cada uma, hahahahaha. A úlitma banda no Main, Kaiser Chiefs, o mais esperado para a maioria do público e pelos meus amigos, devem ter começado o show lá pelas 1:30hrs da noite. Eu? Estava naquelas esteiras perto do Palco Indie, descansado, pensando que vi uma das minhas bandas favoritas dos 80’s, e esperando o show acabar para encontrar meus amigos e ir pra casa.


Tim Festival – Neon Neon/Klaxons

Com algum atraso trago meus comentários sobre o Tim Festival.

Ao contrário do ano passado, nem me preocupei em chegar cedo, ficar na fila e essas coisas que fãs xiitas fazem. Dois motivos: 1- não tinha nenhuma banda que eu fosse fã a esse ponto e 2 – eu tinha certeza de que o Tim estaria mais vazio.

Por isso cheguei às 7 da noite na Marina da Glória  e não tinha 15 pessoas esperando pra entrar.  Rolou um atraso, mas nada muito significante e, assim entrei feliz e me dirigi à fila do palco ao qual gastei 10% do meu salário de estagiária.

A fila do palco novas raves continuou pequena e quando entrei, vi um espaço prateado livre.Consegui ficar colada na grade, a primeira grade de toda a minha vida.  Isso significaria boas fotos com a minha câmera medíocre de 3,2 mpx, mas não foi isso que aconteceu. Esse ano o fosso entre grade e palco quase dobrou, o que prejudicou um pouco minha vida fotográfica. Por isso optei por rechear o post com bons vídeos que achei no youtube.

Assim como no ano pasado, tive boas surpresas com a banda de abertura: em 2007, Hot Chip e em 2008, Neon Neon.  A participação do Har Mar Superstar aumentou e muito o interesse dos presentes no Neon Neon. Já havia lido sobre ele nos shows da noite anterior e já fui preparada pro que eu ia encontrar. No mínimo, uma figura. Mas, o show do Neon Neon me impressionou, gostei bastante. I Lust you é minha preferida do único cd da banda, o Stainless Style.

Neon Neon – I Lust You

Após meia horinha de intervalo, começa o show do da banda que nega o new rave até a morte. Os carinhas do Klaxns chegam empolgados, e com a mesma roupa do show de São Paulo, devo mencionar. Simon com sua roupa roubada do guarda-roupa da Lovefoxxx, James com sua blusa batman- morcegão, Steffen – o baterista – com uma blusa altamente brilhante direto do anos 80 para o Tim Festival, e Jamie achando que estava abalando com uma blusa mega estampada. Depois vem me falar que a new rave morreu. Mas ela continua nos guardas roupas dos integrantes.

A música de abertura foi The Bouncer, que conseguiu levantar o público de cara e se tornou uma das minhas favoritas depois do show. Forte, animada, tudo o que precisa pra conquistar o público nos primieros acordes.

The Bouncer

A apresentação deles foi um desfile de hits e praticamente (senão todas) as músicas do único álbum lançado da banda, Myths of the Near Future, além duas músicas novas, Moonhead e Calm Trees, que já vinham sendo tocadas em outros shows deles esse ano.

O a última música do bis, For Horsemen of 2012,  contou com a participação do excêntrico Har Mar Superstar e do vocal do Bonde do Rolê que eu não sei o nome e tenho preguiça de procurar agora. A música também contou com um Simon bêbado/drogado surtando no fosso, pertinho da platéia.  Bom show, valeu a pena, valeu o ingresso, que foi caro pra caramba.

For Horsemen of 2012

Golden Skans

Magik