Blog is a losing game.


Bye Bye Tim Festival

O calendário cultural está para sofre uma baixa importante: a Tim cancelou o patrocinio do Tim Festival e do Prêmio Tim de música.

img_5181_035tim-festival

Muita gente já fala do esvaziamento cultural que o Rio vem sofrendo nos últimos anos. E mais esse cancelamento não vai ajudar a melhorar essa questão. Em São Paulo ainda existem outros eventos e locais que podem substituir muito bem o conceito do Tim Festival, que é trazer bandas que estão no hype e artistas considerados “cult”. O Planeta Terra, nos últimos anos, tem trazido um line up bem interessante, enquanto o Tim vinha decaindo nesse aspecto.

A Tim negou que a desistência de produzir as duas ações culturais se deu por causa datão divulgada crise financeira. Mas, se os lucros  tivessem de acordo com o que esperava a companhia, o festival estaria sendo pensado a todo vapor. Afinal, o que manda é o dinheiro, né?

Uma pena.

Anúncios

Tim Festival – Neon Neon/Klaxons

Com algum atraso trago meus comentários sobre o Tim Festival.

Ao contrário do ano passado, nem me preocupei em chegar cedo, ficar na fila e essas coisas que fãs xiitas fazem. Dois motivos: 1- não tinha nenhuma banda que eu fosse fã a esse ponto e 2 – eu tinha certeza de que o Tim estaria mais vazio.

Por isso cheguei às 7 da noite na Marina da Glória  e não tinha 15 pessoas esperando pra entrar.  Rolou um atraso, mas nada muito significante e, assim entrei feliz e me dirigi à fila do palco ao qual gastei 10% do meu salário de estagiária.

A fila do palco novas raves continuou pequena e quando entrei, vi um espaço prateado livre.Consegui ficar colada na grade, a primeira grade de toda a minha vida.  Isso significaria boas fotos com a minha câmera medíocre de 3,2 mpx, mas não foi isso que aconteceu. Esse ano o fosso entre grade e palco quase dobrou, o que prejudicou um pouco minha vida fotográfica. Por isso optei por rechear o post com bons vídeos que achei no youtube.

Assim como no ano pasado, tive boas surpresas com a banda de abertura: em 2007, Hot Chip e em 2008, Neon Neon.  A participação do Har Mar Superstar aumentou e muito o interesse dos presentes no Neon Neon. Já havia lido sobre ele nos shows da noite anterior e já fui preparada pro que eu ia encontrar. No mínimo, uma figura. Mas, o show do Neon Neon me impressionou, gostei bastante. I Lust you é minha preferida do único cd da banda, o Stainless Style.

Neon Neon – I Lust You

Após meia horinha de intervalo, começa o show do da banda que nega o new rave até a morte. Os carinhas do Klaxns chegam empolgados, e com a mesma roupa do show de São Paulo, devo mencionar. Simon com sua roupa roubada do guarda-roupa da Lovefoxxx, James com sua blusa batman- morcegão, Steffen – o baterista – com uma blusa altamente brilhante direto do anos 80 para o Tim Festival, e Jamie achando que estava abalando com uma blusa mega estampada. Depois vem me falar que a new rave morreu. Mas ela continua nos guardas roupas dos integrantes.

A música de abertura foi The Bouncer, que conseguiu levantar o público de cara e se tornou uma das minhas favoritas depois do show. Forte, animada, tudo o que precisa pra conquistar o público nos primieros acordes.

The Bouncer

A apresentação deles foi um desfile de hits e praticamente (senão todas) as músicas do único álbum lançado da banda, Myths of the Near Future, além duas músicas novas, Moonhead e Calm Trees, que já vinham sendo tocadas em outros shows deles esse ano.

O a última música do bis, For Horsemen of 2012,  contou com a participação do excêntrico Har Mar Superstar e do vocal do Bonde do Rolê que eu não sei o nome e tenho preguiça de procurar agora. A música também contou com um Simon bêbado/drogado surtando no fosso, pertinho da platéia.  Bom show, valeu a pena, valeu o ingresso, que foi caro pra caramba.

For Horsemen of 2012

Golden Skans

Magik



O que eu vou ver no Tim Festival

Magik (@ Glastonburry)

Golden Skans (@ Glastonbury)

Tá chegando! \o/


Mais uma decepção com o Tim Festival

Chego em casa e vejo que substituíram Paul Weller no Tim Festival. Arnaldo Antunes e Roberta Sá vão se juntar a Marcelo Camelo e ficar uma noite Brazuca/MPB. Vai ser um palco interessante de assitir.

O que me intriga nessa história toda é porque não correram atrás de alguém para substituir o The Gossip? Acho que se rolou uma contratação às pressas para um palco, os pagantes de outras tendas que sofreram com cancelamentos (eu, por exemplo) também mereciam o esforço por parte da organização, não acham?

Fica a pergunta no ar, à espera de uma resposta.


Uruca no Tim Festival

E o Tim Festival tem mais uma baixa. Paul Weller não vem mais, parece que houve um problema no visto de um componente da banda dele, que, segundo eu li, é brasileiro, mas vive em Londres desde sempre e paesar detodos os esforços, necas de visto pro moço.

Acho que os produtores desse festival precisam se benzer! Além de não conseguirem trazer artistas e montar uma programação à altura dos anos anteriores, os que confirmam cancelam em cima da hora! Pena do Tim Festival, que mais uma vez vai ficar pra trás  em relação ao Terra.

Sem fofoca no Tim Festival

O Gossip cancelou o show que eles iam fazer no Tim Festival. Alegaram um conflito de agenda,  que não está me convencendo muito. E quem a produção do Tim vai colocar no lugar?
 
Ninguém.
Isso não me supreende, mas eu acho uma mega sacanagem. Se eles ainda diminuíssem o preço do ingresso, já que quem vai ver Klaxons e Neon Neon tá pagando pelo Gossip também.
Eu particularmente não gosto de Gossip, mas acho que deveriam incluir outra banda no Line up ou deveriam reduzir o preço do ingresso que, pelas bandas que estão vindo nesse ano, está bem salgado.
O Tim Festival já teve dias melhores.